Assuntos de Goiás TV

domingo, 30 de agosto de 2015

"Temos que nos livrar dessa praga que é o PT", diz Geraldo Alkimin. TSE diz que há 15 irregularidades nas contas de Aécio

Na verdade o povo brasileiro pode entender que se há irregularidades na campanha de Aécio Neves, então é o sujo falando do mal lavado, sim porque foi Aécio quem solicitou investigação das contas de Dilma, visando assim impugnar a candidatura Dilma-Temer e obrigando o TSE a convocar nova eleição, na qual ele imagina ser o favorito. O Brasil não merece ter à frente do governo alguém que joga tão baixo contra adversários e omite da sociedade seus próprios erros ou irregularidades.

A relatora do processo que examina a prestação de contas da campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência da República, a ministra Maria Thereza de Assis Moura solicitou ao tucano esclarecimentos sobre 15 suspeitas de irregularidades detectadas nos documentos entregues ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de acordo com informações do jornal "O Estado de S.Paulo" deste domingo (30).

Entre as supostas irregularidades, estão doações feitas pelas empreiteiras Odebrecht e Construbase que somam R$ 3,75 milhões. A assessoria do PSDB afirmou que as respostas já foram dadas e que as irregularidades apontadas pelo TSE são falhas contábeis.

Entre elas está o fato de Aecio ter repassado para o PSDB uma doação de R$ 2 milhões da Odebrecht, mas não ter registrado a transferência na prestação de contas.

"O comitê financeiro nacional para presidente da República do PSDB registrou em sua prestação de contas o recebimento de doação de R$ 2 milhões, efetuada pelo candidato, no entanto, não há o registro da transferência na prestação de contas", afirma o relatório técnico da Justiça Eleitoral. A Odebrecht é uma das empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato e seu presidente, Marcelo Odebrecht, está preso desde 17 julho.

Segundo dados divulgados pelo Estado de S. Paulo, além da Odebrecht, o TSE aponta também uma diferença entre o valor declarado pela campanha e o montante efetivamente doado pela construtora Construbase. O candidato tucano recebeu R$ 1,75 milhão, mas declarou R$ 500 mil.

A operação Lava Jato já estava em curso em 2014, e não era difícil prever que a empreiteira estaria entre as investigadas por Sérgio Moro. A corrupção dos outros é muito feia para o Senador mineiro, mas é preciso que ele explique o porque desta omissão. O alto tucanto preferiu se calar diante dos fatos apresentados pelo TSE, pelo menos até agora nenhum cacique questionou os fatos e nem se pronunciou contrário a divulgação.

De acordo com a assessoria técnica do tribunal, Aécio repassou para o PSDB uma doação de R$ 2 milhões da Odebrecht, mas não registrou a transferência na prestação de contas. A empresa é investigada na Operação Lava Jato e doou R$ 8 milhões à campanha do tucano e R$ 16,7 milhões ao comitê da presidente Dilma Rousseff. “O comitê financeiro nacional para presidente da República do PSDB registrou em sua prestação de contas o recebimento de doação de R$ 2 milhões, efetuada pelo candidato, no entanto, não há o registro da transferência na prestação de contas”, afirma o relatório técnico da Justiça Eleitoral.

Vai observando aonde o Brasil vai entrar com Aécio e sua turma de Tucanos, que aceitam dinheiro de corrupção e não declaram. A doação petista pode ser oriunda da corrução, mas esta por dentro (foi declarada), enquanto a dos tucanos tem a mesma origem e foi feita por fora (Não declarada).
Gilmar Mendes, o 'apito-amigo' do 'Fora Dilma' no TSE — CartaCapital

Geraldo Alckmin sobe o tom e decreta: "Temos que nos livrar dessa praga que é o PT"

Seguidores